AVA

A aprendizagem é um processo ativo que promove modificação e integração entre os conhecimentos já existentes e os que surgem agora. O ser humano é um ser capaz de gerar aprendizagem em todas as suas ações, de acordo com  Santos (2008), aprender é o principal instrumento de sobrevivência. Seguindo esse entendimento, é possível o professor utilizar diversos recursos pedagógicos como estratégias de ensino, muitos disponíveis nos ciberespaços. Essa estratégia nos dias atuais não apenas se insere no contexto como uma maneira de contribuir para a organização dos professores e facilidade para que ele possa acompanhar o desempenho de seus alunos, mas também como um recurso para buscar uma aproximação com essa geração que cresceu com o mundo virtual e seus recursos facilitadores.

Atualmente, as universidades dispõem de um recurso que tornou-se indispensável, a internet. Esse recurso foi definido por Martins (2004, p.4) como:

“Sedutor, complexo e novo na realidade escolar, colocou por terra, juntamente com o processo de globalização, a noção de fronteira, tempo e lugar. Com os meios de comunicação, ideias, informações e produtos circulam com rapidez nunca antes observada e, especialmente no que se refere à internet com um caráter extremamente democrático, já que qualquer pessoa pode acessá-la para qualquer fim e a qualquer momento”

 

Por conta das facilidades que o ciberespaço oferece, o uso da internet no processo educativo é uma alternativa que colabora de forma significativa para aprendizagem, quando usada devidamente. Basta que o indivíduo (usuário) esteja conectado à rede para partilhar informações, interagindo com outras pessoas. De acordo com Tajra (2001, p.153), são algumas facilidades que o ciberespaço oferece: comunicação e interação com outras escolas, estímulo para pesquisar a partir de temas previamente definidos ou a partir da curiosidade dos próprios alunos, desenvolvimento de uma nova forma de comunicação e socialização e estímulo à escrita e à leitura.

Nas últimas décadas muito tem sido discutido acerca das transformações tecnológicas na sociedade atual. Neste atual cenário, as informações se renovam rapidamente e a demanda por formação e qualificação profissional ocupa um lugar de destaque na mudança da relação indivíduo-trabalho. Estar sempre em busca de aperfeiçoamento passou a ser condição obrigatória para o indivíduo se inserir no mercado de trabalho e também para permanecer nele. Neste contexto nos deparamos com o AVA, que surge para otimizar o meio educacional no ciberespaço.   AVA é a sigla para Ambiente Virtual de Aprendizagem. Trata-se de um espaço de gestão e distribuição de conteúdo a distância, desenvolvido para auxiliar os professores no gerenciamento de conteúdo para seus aluno e na administração das aulas. “É um espaço fecundo de significação onde seres humanos e objetos técnicos interagem potencializando assim, a construção de conhecimentos, logo a aprendizagem.” (Santos, 2003).

O ciberespaço apresenta para o estudante a possibilidade ampliação de senso crítico, que se estende da vida acadêmica para o convívio social, permite a troca de informações entre aluno e professor sem a necessidade, obrigatoriamente, de uma sala de aula, sem que seja necessário que essa interação aconteça de maneira presencial. Bassani, Barbosa e Eltz (2013, p.1) conceituam o ciberespaço como “novo meio de comunicação que surge da interconexão mundial dos computadores”. Nesse sentido, não oferece apenas uma estratégia de ensino facilitadora, mas também amplia o alcance da educação.

O ambiente virtual tornou-se tão importante quanto a imprensa e as mídias televisivas, por exemplo. O desenvolvimento de interações e a socialização de objetos de aprendizagem tornaram-se características da aprendizagem. Há, de certa maneira, hoje em dia, uma dependência do aluno com relação ao uso do AVA pelos professores. O uso dos ambientes virtuais de aprendizagem apontam para uma mudança nas práticas pedagógicas, confirmando que a aprendizagem é também um processo que promove modificação.

 

BASSANI, Patrícia Brandalise Scherer; BARBOSA, Débora Nice Ferrari; ELTZ, Patrí- cia Thoma. Práticas pedagógicas com a web no ensino fundamental.

MARTINS, Maria Cristina Bortolozo de Oliveira. A realização de projetos de aprendizagem com as novas tecnologias.

SANTOS. Edméa Oliveira. Ambientes virtuais de aprendizagem: por autorias livre, plurais e gratuitas. In: Revista FAEBA, v.12, no. 18, 2003.

TAJRA, Sanmya Feitosa. Informática na educação: novas ferramentas pedagógicas para o professor da atualidade. 3. ed. atual. e ampl. São Paulo: Érica, 2001.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *